Milano Hotel Carrobbio

Hotel em Milão
Reservas Online
Cancelar . Opções
Garantir a melhor taxa
  • Last Minute

    Book our lastminute offer and get 20% discount!

    Rate includes:
    • Overnight ;
    • Vat 10%, service ;
    • Hot deal is non refundable, cancellable, amendable.

A Cidade

Image/milano_1.jpg
Image/milano_2.jpg
Image/via_medici.jpg.jpg
Image/arco_della_pace.jpg
Image/milano_4.jpg
Image/navigli.jpg
Image/milano_6.jpg
Image/castello.jpg
Milão capital da Lombardia, possui uma população de 1,3 milhões de habitantes. É a maior cidade industrial de Itália, com muitos setores industriais diferentes. É um polo de atração para designers, artistas, fotógrafos e modelos. O centro histórico de Milão é caracterizado por edifícios e palácios altaneiros e fascinantes, motivo pelo qual tantas pessoas provenientes de todos os cantos do mundo desejam visitar a cidade do glamour.
 
O Clima
O clima em Itália é prevalecentemente mediterrâneo: alpino no extremo norte; quente e seco a sul. Os invernos milaneses são relativamente amenos, embora nublosos, com temperaturas que oscilam entre os zero e 8 graus Celsius. Os verões podem ser muito húmidos, com trovoadas de curta duração; as temperaturas oscilam entre os 14 e os 29 graus. De março até abril na íntegra as temperaturas situam-se entre os 6 e os 18 graus. De outubro até ao final de novembro variam entre os 6 e os 17 graus.
 
A História
As origens de Milão remontam a 400 a.C., quando os Gauleses aí se estabeleceram depois de terem derrotado os Etruscos. No ano de 222 a.C. a cidade é conquistada pelos Romanos e anexada ao Império Romano. Depois do ano de 313 d.C., o ano do Édito de Tolerância para com o Cristianismo, muitas igrejas foram edificadas e foi nomeado o primeiro bispo: Ambrósio, uma personalidade de tal forma influente que a igreja se tornou na Igreja Ambrosiana (a 7 de dezembro celebra-se o dia de Stº. Ambrósio). Em 1300 a família nobre dos Visconti, cujos membros são provenientes de Bergamo, Cremona, Piacenza, Brescia e Tarma, governou a cidade, que vive um período de glória e riqueza. O Duomo é construído no ano de 1386 e torna-se o símbolo de Milão. A família Sforza sucede aos Visconti quer no Castelo quer no poder e, após muitos anos de guerra contar Veneza e Florença, a cidade obtém a paz. Sob o ducado dos Sforza a cidade constata um desenvolvimento das ciências, da arte e da literatura. Ludovico o Mouro (Ludovico Sforza) chamou Leonardo da Vinci e “il Bramante” para junto da sua corte. Para mais informações consultar a história.
 
Arte e Cultura
Milão foi desde sempre uma cidade rica e importante e sempre acolheu artistas famosos de todas as épocas, oferecendo um riqueza particular em termos de igrejas, edifícios e monumentos. Durante o Renascimento deram-se mudanças na cultura e na arte, com um notável contributo no período neoclássico. Milão oferece uma grande variedade de edifícios, monumentos e museus. A igreja mais importante é a Catedral, a terceira maior igreja do mundo. É toda em mármore, com estátuas, arcos, colunas e pináculos imensos. Do telhado é possível admirar um belo panorama da cidade. Santa Maria delle Grazie é construída entre os anos de 1466 e 1490, e modificada por Bramante. O Refeitório alberga uma das pinturas mais famosas de Leonardo da Vinci: a “Última Ceia”. Milão possui muitos palácios históricos, tais como o Palácio Real, situado na zona sul da Piazza Duomo. O Castello Sforzesco é um dos símbolos de Milão, juntamente com a Madonnina (Virgem) e a Galleria Vittorio Emanuele II. Todas estas obras de arte no seu conjunto são apenas alguns dos motivos pelos quais vale a pena visitar a cidade. Veja a secção dedicada à arte e à cultura.